Dez Anos de Vigilância em Saúde: Desafios no Repasse Financeiro para as Ações Sanitárias sob o Ponto de Vista de Quatro Gestores Municipais

Simone Aquino

Resumo


O repasse dos recursos financeiros, para ações em vigilância sanitária, é um importante foco da gestão em saúde, buscando alternativas que apontem para um menor desperdício, incremento e melhoria da qualidade dos serviços oferecidos, mas que, com o passar dos anos, é ainda incipiente em pequenos municípios. O objetivo do presente estudo foi o de analisar como a mudança administrativa de vigilância sanitária para a vigilância em saúde influenciou no repasse financeiro da união e estados, para ações em vigilância municipal, pela análise documental de leis e portarias publicadas entre 1990 a 2013 e, reportar qual a percepção do tema de quatro gestores de vigilância sanitária municipal, através de entrevista semiestruturada. Foi observado que a descentralização ocorreu de forma desconexa e pouco se fez na estruturação física, financeira e na capacitação técnica de pessoal, das vigilâncias sanitárias de quatro municípios do estado de São Paulo.


Palavras-chave


Gestão em saúde; vigilância em saúde; repasse financeiro; vigilância sanitária

Texto completo:

PDF

Referências


Centro de Vigilância Sanitária; Coordenadoria de Controle de Doenças; Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (2010). Manual de roteiro para aplicação e instrutivo de preenchimento. Diagnosticar. Recuperado em 27 de julho, 2014, de http://www.cvs.saude.sp.gov.br/zip/Monitoramento20VISAM%20_Roteiro%20e%20Instrutivo_9set10.pdf.

Conselho Nacional de Secretários de Saúde (2003). Para entender a gestão do SUS / Conselho Nacional de Secretários de Saúde (p. 248). Brasília.

Conselho Nacional de Secretários de Saúde (2011). Para entender a Gestão do SUS. Vigilância em Saúde - Parte 1. (p.320). Brasília.

De Seta, M.H., & Silva, J.A.A. (2006). A gestão em Vigilância Sanitária. Recuperado em 22 de junho, 2014, de http://www.ANVISA.gov.br/divulga/conavisa/cadernos/eixo2_texto06.pdf.

Decreto nº 51.433 de 28 de dezembro de 2006 (2006). Cria unidade na Coordenadoria de Regiões de Saúde, da Secretaria da Saúde, altera a denominação e dispõe sobre a reorganização das Direções Regionais de Saúde e dá providências correlatas. Diário Oficial do Estado. São Paulo, SP: Governo do Estado de São Paulo.

Godoy, A.S. (1995). Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de Administração de Empresas, 2(35), 57-63.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2013). Cidades. Recuperado em 23 de julho, 2014, de http://www.ibge.gov.br/cidadesat/xtras/perfil.php?codmun=351640&search=sao-paulo.

Juliano, I. A., & Assis, M. M. A (2004). A vigilância sanitária em Feira de Santana no processo de descentralização da saúde (1998-2000). Ciência & Saúde Coletiva, 9 (2): 493-505, 2004.

Lei nº 8.080 de 19 de setembro de 1990 (1990a). Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, DF: Presidência da República.

Lei nº 8.142 de 28 de dezembro de 1990 (1990b). Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, DF: Presidência da República.

Lei nº 9.782, de 26 de janeiro de 1999 (1999). Define o Sistema Nacional de Vigilância Sanitária, cria a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, DF: Ministério da Saúde.

Lima, G.G., Guerra, M.A.S., Lima, M.H.&, Costa, P.R (2007). Guia para implantação da Vigilância Sanitária Municipal. Uma Orientação aos Gestores, 2007. Recuperado em 15 de julho, 2014, de portal.ANVISA.gov.br/wps/wcm/connect/.../Guia+para+Implantacao.pdf.

Lucchese, G., De Seta, M.H., Pepe, V.L.E., & Oliveira, G. O (2006). A vigilância sanitária no Sistema Único de Saúde. In M.H. De Seta, V.L.E. Pepe, & G.O. Oliveira (Orgs.), Gestão e vigilância sanitária: modos atuais do pensar e fazer (pp. 33-47). Rio de Janeiro: Editora Fiocruz.

Manzini, E.J. (2003). Considerações sobre a elaboração de roteiro para entrevista semi-estruturada. In M.C. Marquezine, M.A. Almeida, & S. Omote (Orgs.), Colóquios sobre pesquisa em Educação Especial (pp.11-25). Londrina: Eduel.

Portaria n º 937 de 17 de Maio de 2013 (2013). Estabelece para o ano de 2013 os valores das transferências de recursos financeiros federais do Componente de Vigilância Sanitária do Bloco de Financiamento de Vigilância em Saúde destinados à execução das ações de vigilância sanitária e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, DF: Gabinete do Ministro; Ministério da Saúde.

Portaria nº 1.397, de 15 de Junho de 2011 (2011). Estabelece para o ano de 2011 os valores das transferências de recursos financeiros federais do Componente de Vigilância Sanitária do Bloco de Financiamento de Vigilância em Saúde destinados à execução das ações de vigilância sanitária e dá outras providências. Recuperado em 30 de julho, 2014, de http://www.saude.al.gov.br/sites/default/files/portaria_gm_ms_1397_2011.pdf.

Portaria nº 1172 de 15 de junho de 2004 (2004). Regulamenta a NOB SUS 01/96 no que se refere às competências da União, Estados, Municípios e Distrito Federal, na área de Vigilância em Saúde, define a sistemática de financiamento e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, DF: Gabinete do Ministro.

Portaria nº 145 de 31 de janeiro de 2001 (2001). Regulamenta as transferências fundo a fundo para o financiamento das ações de média e alta complexidade executadas pelos estados, municípios e distrito federal, na área de vigilância sanitária. Diário Oficial da União. Brasília, DF: Ministério da Saúde.

Portaria nº 2.203 de 5 de novembro de 1996 (1996). Dispõe sobre a Norma Operacional Básica – NOB 1/96 do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial da União. Brasília, DF: Ministério da Saúde.

Portaria nº 2.794 de 7 de dezembro de 2012 (2012). Institui incentivo financeiro para capacitação dos trabalhadores de vigilância sanitária dos Estados, Distrito Federal e Municípios, por meio do desenvolvimento de curso básico de processo administrativo sanitário. Diário Oficial da União. Brasília, DF: Ministério da Saúde.

Portaria nº 2473/GM de 29 de dezembro de 2003 (2003). Estabelece as normas para a programação pactuada das ações de vigilância sanitária no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Recuperado em 30 de julho, 2014, de http∕∕www. dtr2001.saude.gov.br/sas/portarias/Port2003/GM/GM-2473.htm.

Portaria nº 3.252 de 23 de dezembro de 2009 (2009). Aprova as diretrizes para execução e financiamento das ações de Vigilância em Saúde pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, DF: Ministério da Saúde.

Silva, A.A.P., Ferreira, M.A.M., Braga, M.J., & Abrantes, L.A. (2012). Eficiência na Alocação de Recursos Públicos Destinados à Educação, Saúde e Habitação em Municípios Mineiros. Contabilidade, Gestão e Governança, 15 (1), 96 - 114.

Triviños, A.N.S. (1987). Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas.




DOI: http://dx.doi.org/10.5585/rgss.v3i2.131

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Rev. Gest. Sist. Saúde
e-ISSN: 2316-3712
www.revistargss.org.br