Avaliação da Eficiência Hospitalar por Meio da Análise Envoltória de Dados

Márcia Zanievicz da Silva, Bradlei Ricardo Moretti, Herivélton Antônio Schuster

Resumo


É constante o interesse em se analisar a eficiência dos hospitais e também dos serviços prestados a partir da utilização de recursos públicos, visto a magnitude dos recursos utilizados, que são geralmente escassos, e a complexidade que envolve a prestação de serviço de assistência à saúde. Nesse sentido, o estudo objetivou avaliar, por meio da Análise Envoltória de Dados (DEA), a eficiência produtiva de hospitais credenciados ao Sistema Único de Saúde (SUS) na região sul do Brasil. A partir de uma pesquisa documental, descritiva, retrospectiva e com abordagem quantitativa. Foi analisada uma amostra de 139 hospitais localizados em municípios com mais de 100 mil habitantes dos estados do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Com intuito de garantir melhores comparativos dos resultados, aplicou-se a técnica de clusters para agrupar os municípios semelhantes quanto aos seus inputs. Os resultados demonstraram que dentre os hospitais analisados, nos três clusters, o score máximo de eficiência foi atingido por 34% dos hospitais catarinenses, 49% dos hospitais paranaenses e 35% dos hospitais rio-grandenses. Também se pode inferir que 41% dos hospitais analisados são eficientes e utilizaram de forma eficiente os recursos físicos e pessoais disponíveis ao atendimento da população através do SUS. Por não se identificar discrepância significativa, quanto aos scores de eficiência nos hospitais ineficientes, constatou-se que estes estão, na sua maioria, próximos da fronteira de eficiência.

Palavras-chave


Administração Hospitalar; Análise Envoltória de Dados; Eficiência; Sistema Único de Saúde; Saúde Pública.

Texto completo:

PDF

Referências


Al-Shammari, M. (1999). A multi-criteria data envelopment analysis model for measuring the productive efficiency of hospitals. International Journal of Operations & Production Management, 19(9), 879-891.

Andrews, R., & Entwistle, T. (2010). Does cross-sectoral partnership deliver? An empirical exploration of public service effectiveness, efficiency, and equity. Journal of Public Administration Research and Theory, 045.

Banker, R. D., Charnes, A., & Cooper, W. W. (1984). Some models for estimating technical and scale inefficiencies in data envelopment analysis. Management Science, 30(9), 1078-1092.

Behn, R. D. (1998). O novo paradigma da gestão pública e a busca da accountability democrática. Revista do Serviço Público, 49(4).

Castelar, R. M., Mordelet, P., & Grabois, V. (1995). Gestão hospitalar: um desafio para o hospital brasileiro. In Gestão hospitalar: um desafio para o hospital brasileiro. ENSP.

Cebrián, S. R. (1995). Glossário de economia de la salud. Madrid: Diaz de Santos.

Cesconetto, A., Lapa, J. S., & Calvo, M. C. M. (2008). Avaliação da eficiência produtiva de hospitais do SUS de Santa Catarina, Brasil Evaluation of productive efficiency in the Unified National Health System hospitals in the State of Santa Catarina, Brazil. Cadernos de Saúde Pública, 24(10), 2407-2417.

Charnes, A., Cooper, W. W., & Rhodes, E. (1978). Measuring the efficiency of decision making units. European Journal of Operational Research, 2(6), 429-444.

Clement, J. P., Valdmanis, V. G., Bazzoli, G. J., Zhao, M., & Chukmaitov, A. (2008). Is more better? An analysis of hospital outcomes and efficiency with a DEA model of output congestion. Health Care Management Science, 11(1), 67-77.

CNESNet – Secretaria de Atenção à Saúde. (2015). Tipos de estabelecimentos. Recuperado em 22 de novembro, 2015, de http://cnes2.datasus.gov.br/Mod_Ind_Unidade.asp.

Colauto, R. D., & Beuren, I. M. (2003). Proposta para avaliação da gestão do conhecimento em entidade filantrópica: o caso de uma organização hospitalar. Revista de Administração Contemporânea, 7(4), 163-185.

Corrar, L. J., Paulo, E., & Dias Filho, J. M. (2007). Análise multivariada: para os cursos de administração, ciências contábeis e economia. São Paulo: Atlas, 280-323.

Datasus – Portal da Saúde. (2015). Epidemiológicas e Morbidade. Recuperado em 19 de novembro, 2015, de http://www2.datasus.gov.br/DATASUS/index.php?area=0203.

Datasus – Portal da Saúde. (2015). Procedimentos Hospitalares do SUS. Recuperado em 21 de novembro, 2015, de http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/deftohtm.exe?sih/cnv/qirs.def.

Fadel, M. A. V., & Regis Filho, G. I. (2009). Percepção da qualidade em serviços públicos de saúde: um estudo de caso. Revista de Administração Pública, 43(1), 7-22.

Greiling, D. (2006). Performance measurement: a remedy for increasing the efficiency of public services? International Journal of Productivity and Performance Management, 55(6), 448-465.

Haas, D. J. (2003). Productive efficiency of English football teams — a data envelopment analysis approach. Managerial and Decision Economics, 24(5), 403-410.

Hames, D. S. (1991). Productivity-enhancing work innovations: Remedies for what ails hospitals? Journal of Healthcare Management, 36(4), 545.

Hu, H. H., Qi, Q., & Yang, C. H. (2012). Analysis of hospital technical efficiency in China: Effect of health insurance reform. China Economic Review, 23(4), 865-877.

Jacobs, R. (2001). Alternative methods to examine hospital efficiency: data envelopment analysis and stochastic frontier analysis. Health Care Management Science, 4(2), 103-115.

Katz, D., & Kahn, R. L. (1975). Psicologia social das organizações. São Paulo: Atlas, 2(1).

Kirigia, J. M., Emrouznejad, A., Sambo, L. G., Munguti, N., & Liambila, W. (2004). Using data envelopment analysis to measure the technical efficiency of public health centers in Kenya. Journal of Medical Systems, 28(2), 155-166.

Lins, M. E., Lobo, M. D. C., Silva, A. C. M. D., Fiszman, R., & Ribeiro, V. D. P. (2007). O uso da Análise Envoltória de Dados (DEA) para avaliação de hospitais universitários brasileiros. Ciência e Saúde Coletiva, 12(4), 985-98.

Lins, M. P. E., Meza, L. A. (2000). Análise Envoltória de Dados e Perspectivas de Integração no Ambiente de Apoio à Decisão. Rio de Janeiro: COPPE/UFRJ.

Macedo, M. A. S., Barbosa, A. C. T. A. M., & Cavalcante, G. T. (2009). Desempenho de Agências Bancárias no Brasil: aplicando Análise Envoltória de Dados (DEA) a indicadores relacionados às perspectivas do BSC. Revista Economia & Gestão, 9(19), 65-84.

Malik, A. M., & Teles, J. P. (2001). Hospitais e programas de qualidade no Estado de São Paulo. Revista de Administração de Empresas, 41(3), 51-59.

Marinho, A. (2003). Avaliação da eficiência técnica nos serviços de saúde nos municípios do Estado do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Economia, 57(3), 515-534.

Marinho, A. (2001). Estudo de eficiência em alguns hospitais públicos e privados com a geração de rankings. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, 794.

Mello, J. C. C. B. S., Meza, L. A., Gomes, E. G., & Biondi Neto, L. (2005). Curso de análise de envoltória de dados. In: Simpósio Brasileiro de Pesquisa Operacional, Gramado, RS, Brasil, 37.

Mills, A. E., & Spencer, E. M. (2005). Values based decision making: a tool for achieving the goals of healthcare. In HEC Forum (Vol. 17, No. 1, pp. 18-32). Kluwer Academic Publishers.

Mintzberg, H. (1995). Criando organizações eficazes: estruturas em cinco configurações. São Paulo: Atlas.

Mwita, J. I. (2000). Performance management model: a systems-based approach to public service quality. International Journal of Public Sector Management, 13(1), 19-37.

Nunes, A. M., & Harfouche, A. P. J. (2015). A reforma da administração pública aplicada ao setor da saúde: a experiência portuguesa. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, 4(2), 1-8.

Politelo, L., Rigo, V. P., & Hein, N. (2015). Eficiência da Aplicação de Recursos no Atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS) nas Cidades de Santa Catarina. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, 3(2), 45-60.

Richardson, R. J. (1999). Pesquisa social: métodos e técnicas. 3a ed., São Paulo. Editora Atlas.

Sant’Ana, C. F., Silva, M. Z., & Padilha, D. F. (2016). Avaliação da eficiência econômico-financeira de hospitais utilizando a análise envoltória de dados. Contabilometria, 3(1).

Savian, M. P. G., & Bezerra, F. M. (2013). Análise de eficiência dos gastos públicos com educação no ensino fundamental no estado do Paraná. Economia & Região, 1(1), 26-47.

Shaw, C. D. (2003). Evaluating accreditation. International Journal for Quality in Health Care, 15(6), 455-456.

Silva, M. (2005). Breves comentários sobre a acreditação dos prestadores de serviços de hemoterapia. Jus Navigandi. Recuperado em 21 de novembro, 2015, de https://jus.com.br/artigos/6250/breves-comentarios-sobre-a-acreditacao-dos-prestadores-de-servicos-de-hemoterapia

Silva, A. A. P., Marques, F. M. A., Braga, M. J., & Abrantes, L. A. (2012). Eficiência na alocação de recursos públicos destinados à educação, saúde e habitação em municípios mineiros. Contabilidade, Gestão e Governança, 15(1).

Smith, P. C., & Street, A. (2005). Measuring the efficiency of public services: the limits of analysis. Journal of the Royal Statistical Society: Series A (Statistics in Society), 168(2), 401-417.

Souza, A. A.; Avelar, E. A.; Tormin, B. F., & Silva, E. A. (2014). Análise financeira e de desempenho em hospitais públicos e filantrópicos brasileiros entre os anos de 2006 a 2011. FACEF Pesquisa-Desenvolvimento e Gestão, 17(1).

Souza, I. V., Nishijima, M., & Rocha, F. (2010). Eficiência do setor hospitalar nos municípios paulistas. Economia Aplicada, 14(1), 51-66.

Souza, P. C. D., & Scatena, J. H. G. (2010). Aplicação da gestão de custos para o aumento na eficiência dos hospitais públicos. Revista Administração em Saúde, 12(49), 195-207.

Tanaka, O. Y., & Tamaki, E. M. (2012). O papel da avaliação para a tomada de decisão na gestão de serviços de saúde/The role of evaluation in decisionmaking in the management of health services. Ciência e Saúde Coletiva, 17(4), 821-828.

Wolff, L. D. G. (2005). Um modelo para avaliar o impacto do ambiente operacional na produtividade de hospitais brasileiros (Doctoral dissertation, Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico. Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção.). Florianópolis, SC, Brasil.




DOI: http://dx.doi.org/10.5585/rgss.v5i2.248

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Rev. Gest. Sist. Saúde
e-ISSN: 2316-3712
www.revistargss.org.br