Custeio Baseado em Atividades (ABC) e Custeio Baseado em Atividade e Tempo (TDABC) em Organizações Hospitalares: Uma Análise Descritiva da Literatura Nacional e Internacional

Katia Abbas, Letícia Matiolli Grejo, Juliane Andressa Pavão, Claudinéia Nunes VEloso

Resumo


Muitas organizações não adotam o método de custeio baseado em atividades (ABC – Activity-Based Costing) devido à dificuldade e onerosidade envolvidas em sua implantação e manutenção. Assim, Kaplan e Anderson (2007) propuseram uma nova abordagem para reduzir os problemas desse método, que recebeu a denominação de custeio baseado em atividades e tempo (TDABC –Time-Driven Activity-Based Costing). Dessa forma, o objetivo deste artigo é analisar as pesquisas sobre os temas ABC e TDABC publicadas na literatura brasileira e internacional na área de contabilidade entre os anos de 1995 a 2015 em organizações hospitalares. Esta pesquisa descritiva e bibliográfica selecionou artigos publicados em periódicos nacionais, internacionais e em congressos, bem como dissertações e teses defendidas em Programas de Pós-Graduação em Contabilidade, totalizando 39 pesquisas. O Congresso Brasileiro de Custos se destacou com maior número de publicações sobre o ABC, tendo como auge o período de 2003 a 2005, e os segmentos mais abordados para a aplicação do referido métodos foram o de ginecologia e obstetrícia e maternidade. O pesquisador que obteve maior destaque, também em relação ao ABC, foi Antônio Artur de Souza, com cinco publicações em periódicos nacionais e seis artigos publicados nos anais do Congresso Brasileiro de Custos. Em relação ao TDABC, esse método ainda é pouco explorado pela literatura nacional e internacional contábil.

Palavras-chave


Custeio baseado em atividade e tempo (TDABC); Custeio baseado em atividade (ABC); Hospital.

Texto completo:

PDF

Referências


Abbas, K. (2001). Gestão de custos em organizações hospitalares. Dissertação de mestrado, Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

Abbas, K.; Gonçalves, M. N.; Leoncine, M. (2012). Os métodos de custeio: vantagens, desvantagens e sua aplicabilidade nos diversos tipos de organizações apresentadas pela literatura. Contexto, 12(22), 145-159, 2. Sem.

Abbas, K.; Marques, K. C. M.; Tonin, J. M. F.; Sasso, M.; Leoncine, M. (2015). Os métodos de custeio discutidos na literatura são os mesmos usados na prática em hospitais? ABCustos, 10(1), 73-93, jan./abr.

Aillón, H. S. (2013). A desinstitucionalização do Custeio Baseado em Atividades sob a ótica da Nova Sociologia Institucional. Dissertação de mestrado, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Almeida, L. B.; Santos, A. R. (2007). Práticas de contabilidade de custos: uma investigação nas indústrias paranaenses. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 2(1), 19-34.

Barret, R. (2005). Time-driven costing: the bottom line on the new ABC. Business Finance, mar., 2005.

Baumgartner, R. R. (1998). Avaliação da aplicabilidade do custeio ABC – activity-based costing na acurácia de custos na área hospitalar, especificamente na unidade de terapia intensiva: estudo de um caso prático. Dissertação de mestrado, Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Financeiras e Contábeis, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

Boina, T. M.; Avelar, E. A.; Souza, A. A.; & Ribeiro, L. M. P. (2015). Análise bibliométrica de trabalhos acadêmicos sobre o time-driven activity based costing publicados em periódicos entre os anos de 2004 e 2013. Revista Universo Contábil, 11(4), 166-183.

Bornia, A. C. (2002). Análise gerencial de custos em empresas modernas. Porto Alegre: Bookman.

Brimson, J. A. (1996). Contabilidade por atividades: uma abordagem de custeio baseado em atividades. São Paulo: Atlas.

Cao, P.; Toyabe, S. I.; Akazawa, K. (2006). Development of a practical costing method for hospitals. Tohoku J. Exp. Med, 208, p. 213-224.

Catânio, A. R.; Pizzo, J. C. M.; & Moraes, R. O. (2015). Time-driven activity-based costing (TDABC): um estudo bibliométrico das publicações nacionais. In: XXII Congresso Brasileiro de Custos, Foz do Iguaçu, 2015.

Cogan, S. (1997). Activity based costing (ABC): a poderosa estratégia empresarial. São Paulo: Pioneira.

Cooper, R.; Slagmulder, R. (2003). Strategic cost management: expanding scope and boundaries. Cost Management, 17(1), jan./feb.

Dalmácio, F. Z.; Rezende, A. J.; Aguiar, A. B. (2007). Uma aplicação do Time-Driven ABC Model no setor de serviço hospitalar: a nova abordagem do ABC proposta por Kaplan e Anderson. Contabilidade Vista & Revista, 18(2), 11-34, abr./jun.

Everaert, P.; Bruggeman, W.; Creus, G. (2008). Sanac Inc.: from ABC to time-driven ABC (TDABC) – an instructional case. Journal of Accounting Education, 26(3), p. 118-154.

Frezatti, F. (2005). Agrupamento dos perfis da contabilidade no Brasil. Revista UNB Contábil, 8(1).

Goulart, R. L. (2000). Custeio baseado em atividades (ABC) aplicado em um serviço de radiologia em unidade hospitalar. Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis.

Holanda, V. B. (2001). Contabilidade: a cibernética empresarial. Revista Contabilidade e Finanças, 12(25), jan./abr.

Horngren, C. T.; Sundem, G. L.; Stratton, W. O. (2004). Contabilidade Gerencial. São Paulo: Prentice Hall.

Johnson, H. T.; Kaplan, R. S. (1987). Relevance lost: the rise and fall of management accounting. Boston, Mass: Harvard Business School Press.

Kaplan, R. S.; Anderson, S. R. (2007). Custeio baseado em atividade e tempo. Time-driven activity-based costing. Tradução Afonso Celso da Cunha Serra. Rio de Janeiro: Elsevier.

Kaplan, R. S.; Anderson, S. R. (2007). Time-Driven Activity-Based Costing: a simpler and more powerful path to higher profits. In: Time-driven activity-based costing: a simpler and more powerful path to higher profits. Boston: Harvard Business School Publication Corp.

Kaplan, R. S.; Cooper, R. (1998). Custo e desempenho: administre seus custos para ser mais competitivo. O. P. Traduções. São Paulo: Futura.

Megliorini, E. (2012). Custos: análise e gestão. 3. Ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Nakagawa, M. (1994). ABC: custeio baseado em atividades. São Paulo: Atlas.

Pernot, E.; Roodhooft, F.; Van Den Abbeele, A. (2007). Time-Driven Activity-Based Costing for inter-library services: a case study in a university. The Journal of Academic Librarianship, 33(5), 551-560.

Popesko, B.; Novák, P. (2011). Application of ABC method in hospital management. Proceedings of the 6th IASME/WSEAS International Conference on Economy and Management Transformation (EMT '11). France.

Porter, M. E. (2007). Repensando a saúde: estratégias para melhorar a qualidade e reduzir custos. Tradução de Cristina Bazan. Porto Alegre: Bookman.

Sakurai, M. (1997). Gerenciamento integrado de custos. São Paulo: Atlas, 1997.

Santana, A. F. B.; Afonso, P.; & Fagundes, J. A. (2013). Time driven activity based costing (TDABC): um perfil dos artigos publicados no Congresso Brasileiro de Custos. In: XX Congresso Brasileiro de Custos, Uberlândia, MG.

Silva, M. Z. (2006). Mensuração dos custos de procedimentos médicos em organizações hospitalares: sistematização de um método de custeio híbrido à luz do ABC e da UEP. Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

Souza, A. A.; Avelar, E. A.; & Pavione, C. S. S. N. (2011). Custeio baseado em atividades: uma análise das pesquisas brasileiras desenvolvidas na primeira década do século XXI. In: XXXV Encontro da ANPAD, Rio de Janeiro, RJ.

Struett, M. A. M.; Souza, A. A.; Raimundini, S. L. (2007). Aplicação do custeio baseado em atividades: estudo de caso em um laboratório de análises clínicas. Contexto, 7(11).




DOI: http://dx.doi.org/10.5585/rgss.v5i2.250

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Rev. Gest. Sist. Saúde
e-ISSN: 2316-3712
www.revistargss.org.br