O Desafio de Mapear Variáveis na Gestão de Leitos em Organizações Hospitalares Privadas

Claudia Raffa, Ana Maria Malik, Luis Hernan Contreras Pinochet

Resumo


Este trabalho objetiva apresentar o mapeamento de variáveis que, na percepção de gestores, são relevantes na gestão dos leitos em organizações hospitalares privadas. Um dos processos críticos que os hospitais têm enfrentado é o gerenciamento de leitos. Portanto, faz-se necessário identificar claramente os processos que interagem na ocupação dos leitos, para posteriormente, serem propostas melhorias. Este trabalho utilizou a revisão sistemática da literatura (Systematic Literature Review – SLR) com base na pesquisa bibliográfica e discussão teórica baseada em casos de hospitais particulares, além do confronto teórico de diversos estudos empíricos que conduziram ao mapeamento de variáveis essenciais para a gestão de leitos em organizações hospitalares privadas. Como resultado, a teoria preconiza que a gestão do leito envolve processos estratégicos e, para sua gestão são necessários conhecimentos que vão além das rotinas administrativas, justificando a necessidade de profissionalização destes serviços, bem como o investimento em infraestrutura e pessoal. Na saúde a solicitação de leitos deve ser considerado um processo estratégico, devendo ser redesenhado, se necessário para garantir o suporte para o alcance das estratégias organizacionais. Considera-se que o gerenciamento visa buscar a utilização dos leitos disponíveis em sua capacidade máxima, com segurança dentro dos critérios estabelecidos, com objetivo de otimizar o tempo de espera para internação e satisfação dos clientes internos e externos do ambiente hospitalar.

Palavras-chave


Gestão de Leitos; Hospitais Privados; Estratégias de Operações e Serviços.

Texto completo:

PDF

Referências


Araujo, C; Barros, C.; Wanke, P. (2014). Efficiency determinants and capacity issues in Brazilian for-profit hospitals. Heath Care Management Science, v. 17, n°6, 126-138.

Bell, D; Vaughan, L; Scott, I. (2015). Effectiveness of acute medical units in hospitals: a systematic review. International Journal for quality in Health Care, vo. 21, n. 6, p. 397-407, doi: http://dx.doi.org/10.1093/intqhc/mzp045

Bittar, N.V., Olimpo, J. (2000). Gestão de processos e certificação para qualidade em saúde. Rev. Assoc. Med. Bras., v.46, n.1, Jan./Mar.

Bryan. K; Gage H; Gilbert K. (2006). Late transfers of older people from hospital: causes and policy implications. Health Policy. Cross Ref Medline Web of Science Google Scholar, v.76 ( 2 ),p. 194 – 201.

Cavaline, R. G.; Martinelli, T. T. Gestão de leito um desafio em um hospital público: relato de caso. Qualihosp. Disponível em:

http://site.qualihosp.com.br/mac/upload/arquivo/QUALIHOSP_2015_COMPLETO_COM_LINK.pdf. Acesso em: 30.11.16

Cesconetto; Lapa; & Calvo. (2008). Avaliação da eficiência produtiva de hospitais do SUS de Santa Catarina, Brasil. Cad. Saúde Pública. vol.24 no.10. Rio de Janeiro, Oct.

Claret, P-G., Boudemaghe, T., Bobbia, X., Stowell, A., Miard, E., Sebbane, M., Ladais, P., & Coussaye, J. E., de la. (2015). Consequences for overcrowding in the emergency room of a change in bed management policy on available in-hospital beds. Australian Health Review: A Publication of The Australian Hospital Association. A Publication of The Australian. ISSN: 0156-5788

Clement, J. P., Valdmanis, V. G., Bazzoli, G. J., Zhao, M., Chukmaitov, A. (2008). Is more better? An analysis of hospital outcomes and efficiency with a DEA model of output congestion. Heath Care Manage Sci. 11(1), 67-77.

Cooper, H. (1984). The integrative research review: A systematic approach. Newbury Park, CA: sage.

Creswell, J. W. (2007). Projeto de pesquisa: métodos qualitativos, quantitativos e misto. 2ª Edição. Porto Alegre: Atmed - Editora Bookman.

Cunha, J. A. C. da (2011). Avaliação de Desempenho e eficiência em organizações de Saúde: um estudo em hospitais filantrópicos. (Tese de Doutorado). Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Cunningham, P.; Sammut, J. (2012). Inadequate acute hospital beds and the limits of primary care and prevention. Emergency Medicine Australasia (EMA), 24, 566–572 doi: 10.1111/j.1742-6723.2012.01601.x

Duarte, I. G., Ferreira D. P. (2008). Uso de indicadores na gestão de um centro cirúrgico. Rev Adm Saúde, v.31, p. 63-70.

Fonseca, C. P.; Ferreira, M. (2013). Investigação dos Níveis de eficiência na Utilização de Recursos no setor de saúde: uma análise das microrregiões de Minas Gerais. Revista: Saúde e Soc. V.18, n2, p. 199-213.

Garrther, R. I.; Zwicker, R.; Rodder, W. (2009). Investimentos em Tecnologia de Informação e Impactos na Produtividade Empresarial: uma análise empírica à luz do paradoxo da produtividade. RAC – Revista de Administração Contemporânea. Curitiba, v.13, n3, p. 391-409.

Geloneze, A. L. D., Pinheiro, M de S. B., Bittencourt, N. L. N., & Junior, P. A. M. (2014). O impacto do gerenciamento de leitos baseado na metodologia Lean Six Sigma. Disponível em: http://www.administradorhospitalar.com.br/publicacoes-individual/O-impacto-do-gerenciamento-de-leitos-baseado-na-metodologia-Lean-Six-Sigma-#.WUA5nWjys2w Acesso: 12/06/2017.

Godden, S.; McCoy, D.; Pollock, A. Policy on the rebound: trends and causes of delayed discharges in the NHS. Journal of The Royal Society of Medicine, v.102 (1), p.22-8, 2009, doi: 10.1258/jrsm.2008.080202

Golden, S.; Pollock, A; McCoy, D. (2009). Policy on the rebound: trends and causes of delayed discharges in the NHS. Journal of The Royal Society of Medicine, v.102 (1), p.22-8, doi: 10.1258/jrsm.2008.080202

Gonçalves, J. E. L. (2000). Processo, que processo? RAE – Revista de Administração de Empresas, out/dez, v. 40, n.4 –p.8-19.

Guzmman, M. Sanchez. (2005). Indicadores. Rev Inst Nal Gestão Hospitalar Enf Resp Mex;18 (2); 132-141.

Hanaeus, A; Tolic, B. (2015). Technology and Logistics in Health Care Services: a case study of Lanssjukiwset. Jonkoping International Business School. Disponível em: http://www.diva-portal.se/smash/get/diva2:828149/FULLTEXT01.pdf. Acesso em 03.06.2016.

Hendy, P.; Patel, J. H.; Kordbacheh, T.; Laskar, N.; Harbord. M. (2013). In-Depth Analysis of Delays to Patient Discharge: a metropolitan teaching hospital experience. Journal of the Royal College of Physicians. V. 12, N. 4, p. 320-323. Disponível em: http://www.clinmed.rcpjournal.org/content/12/4/320.full. Acesso em: 20.04.15.

Jasinarachchi, K. H., Ibrahim, R. I., Keegan, B., Mathalagan, R., McGourty, J. C., Phillips, J. R. N., & Myint, P. K. (2009). Delayed transfer of care from NHS secondary care to primary care in England: its determinants, effect on hospital bed days, prevalence of acute medical conditions and deaths during delay, in older adults aged 65 years and over. PubFacts. Scientific Publication Data. BMC Geriatr 2009 Jan 22;9. Epub 2009 Jan 22. Norfolk and Norwich University Hospital, Norfolk, UK.

Jones, R. (2009). Emergency admissions and hospital beds British. Journal of Healthcare Management. v.15 (6), p. 289-296. Disponível em: www.bjhcm.co.uk. Acesso em: 02.04.15.

Falcão, P; Repetto, S.; Gelonesi, A. P. (2015). O Impacto do Gerenciamento de Leitos Baseado na Metodologia Lean Six Sigma. Anais Qualihosp. Disponível em: http://site.qualihosp.com.br/mac/upload/arquivo/QUALIHOSP_2015_COMPLETO_COM_LINK.pdf. Acesso em 12.08.2016.

Frezatti, F. et al. (2014). O Papel do Balanced Scorecard na Gestão da Inovação. Revista de Administração de Empresas. vol.54 no. 4, p. 381-392, doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-759020140404

Keegan, D. P.; Eiler, R. G.; Jones, C. R. (1989). Are your performance measures obsoletes? Management Accounting, v. 70, n. 1, p. 45-50.

Kumar S, Sawanson, E; Tran, T. (2008). RFID in the healthcare supply chain: usage and application. International Journal of Health Care Quality Assurence. v. 22(1), p. 67-68.

Lin, W.; Shao, B. (2009). The Business value of information technology and inputs substitution: the productivity paradox. Revised. Decision Support Systems, v. 42 (2), p. 493-507.

Lusch, Robert F.; Vargo, Stephen L. (2006). Service-Dominant Logic: Reactions, Reflections and Refinements. Marketing Theory, v.6, n.3, p.281-288.

Lusch, Robert F.; Vargo, Stephen L.; O’Brien, M. (2007). Competing through Service: Insights from Service-Dominant Logic. Journal of Retailing, .83, n.1, 5-18.

Lynch, R. L. e K. F. Cross. (1991). Measure Up - The Essential Guide to Measuring. Business Performance. London: Mandarin.

Malik, M. A; Neto, V. G. (2011). Gestão em Saúde. 1 ed. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan.

Mendoza-Giraldo, D.; Navarro, A.; Quijano-Sánchez, A.; Villegas, A.; Ascencio, R.; Lissen, E. (2012). Retraso Del Alta Hospitalaria por Motivos no Médicos. Revista Clinica Española, v. 212, n. 5, p. 229-234, doi: 10.1016/j.rce.2011.12.009

National Audit Office. Inpatient admissions and bed management in NHS acute hospitals. [cited 2010 Jul. 21]. Available from: Disponivel em:

http://www.nao.org.uk/publications/9900/inpatient_admissions_and_bed.aspx. Acesso em: 05/05/15.

Neely, A..; Mills, J.; Platts, K.; Gregory, M.; Richards, H. (2015). Performance measurement system design: Should process based approaches be adopted? International Journal of Production Economics, 46/ 47, 423-431.

O’Neill, L., Rauner, M., Heindeberger, K., Kraus, M. (2008). A cross-national comparison and taxonomy of DEA-based hospital efficiency studies. Socio-Economic Planning Sciences, v. 42, p. 158–189.

Palmer, S.; Torgerson, D. J. (1999). Definitions of Efficiency. British Medical Journal, v. 319, n. 7191, p. 1136.

Paré, G., Trudel, M. C., Jaana, M. & Kitsiou, S. (2015). Synthesizing information systems knowledge: A typology of literature reviews. Information & Management, v. 52(2),.183–199.

Pessoa, M.G.A et al. (2012). Rede Hospitalar Pública no Rio Grande do Norte: um estudo sobre a utilização dos leitos hospitalares por Região de Saúde. Revista: Com. Ciências Saúde, v.22 (4), .315-326.

Pereira, S. R., Paiva, P. B., Souza, P. R. S., Siqueira, G, Pereira, A. R. J. Sistemas de Informação para Gestão Hospitalar. Health Inform. Outubro-Dezembro; 4(4): 170-175, 2012.

Perroca, M.G., Jericó M. de C., Facundin, S. D. (2007). Monitorando o cancelamento de procedimentos cirúrgicos: indicador de desempenho organizacional. Rev Esc Enferm USP.41(1):113-9.

Pinochet, L. H. C.; Lopes, A. de S.; Silva, J. S. (2014). Inovações e tendências aplicadas nas tecnologias de informação e comunicação na gestão da saúde. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde – RGSS, vol. 3, n.2, p.11-29, doi:10.5585/rgss.v3i2.88

Politelo, L.; Rigo, V. P.; Hein, N. (2014). Eficiência da aplicação de recursos no atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS) nas Cidades de Santa Catarina. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde- RGSS, vol. 3, n. 2, p. 45-60, doi: 10.5585/rgss.v3i2.105

Ramos, W.A; Miyake, I. D. (2010). Desenvolvendo Indicadores de Produtividade e Qualidade em Hospitais: uma proposta de método. Revista: Produto e Produção, v.11, nº2, .87-64.

Ramos, M. C. A.; Cruz, L. P.; Kishima, V. C.; Pollara, W. M.; Lira, A. C. O.; Couttolenec, B. F. (2015). Avaliação de desempenho de hospitais que prestam atendimento pelo sistema público de saúde, Brasil. Rev Saúde Pública, 49:43, p.1-10, doi:10.1590/S0034-8910.2015049005748

Radnor, Z. J., & Walley, P. (2008). Learning to walk before we try to run: adapting Lean for the public sector. Public Money & Management, 2008, v.28(1), 13-20.

Rodrigues, S. L.; Souza, J. V. O. (2015). Modelagem de Processos de Negócios: Um Estudo Sobre os Processos de Gestão de Compras Farmacêuticas em Hospital da rede Privada de Teresina-PI. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde – RGSS, vol. 4, n.1, p.88-99, doi: http://dx.doi.org/10.5585/rgss.v4i1.156

Salas, M. M. (2013). Diagrama de Barber y Johnson para el análisis de la gestión de la cama hospitalaria en Costa Rica. Rev. Costarric. Salud Pública, vol.22 n.1 San José Jan/Jun.

Salermo, S. M. (2004). Da rotinização à flexibilização: ensaio sobre o pensamento crítico brasileiro de organização do trabalho. Revista Gestão da Produção. v.11 no.1, p. 21-32, doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-530X2004000100003

Schlairet, M. C. (2014). Complex Hospital Discharges: Justice Considered. HEC Forum, v. 26, n. 1, 69-78. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23912604. Acesso em: 02.11.16.

Souza, L. B., & Pidd, M. (2011). Exploring the barriers to lean health care implementation. Public Money & Management, 2011, v.31(1), 59-66.

Santos, L. C; Varvakis, G; Gohr, C. F. (2004). Por que a estratégia de operações de serviços deveria ser diferente? Em busca de um modelo conceitual. In: XXIV Encontro Nacional de Engenharia de Produção (ENEGEP). Florianópolis, SC: ABEPRO, nov.

Takashina, N. T. & Flores, M. C. X.: Indicadores da qualidade e do desempenho – como estabelecer e medir resultados. Rio de Janeiro, QualityMark, 1996.

Veillard, J., Champagne, F., Klazinga, N., Kazandjian, V., Arah, O. A., & Guisset, A. L. (2005). A performance assessment framework for hospitals: the WHO regional office for Europe PATH Project. International Journal for Quality in Health Care; Volume 17, Number 6: pp. 487–496.

Vargo, Stephen L.; Morgan, Fred W. (2005) Services in Society and Academic Thought: An Historical Analysis. Journal of Macromarketing, v.25, n.1, p.42-53.

Vries, J., & Huijsman, R. (2011). Supply chain management in health services: an overview. Supply Chain Management: An International Journal, 16(3), 159-165.

Waring, J. J., & Bishop, S. (2010). Lean healthcare: rhetoric, ritual and resistance. Social science & medicine, v. 71(7), 1332-1340.

Winkelmann, C., Flessa, S., Leisten, R., & Kramer, A. (2008). Relevance of economic efficiency analysis of decentralized versus centralized reprocessing of patients' beds in a maximum-care hospital. Hygene und Medizin, v.33(6), 239-245.

Wong, H.; Wu, R. C.; Tomlinson, G.; Ceasar, M.; Abrams, H.; Carter, M. W.; & Morra, D. (2009). How much do operational processes affect hospital inpatient discharge rates? J Public Health (Oxf) 31 (4): 546-553. DOI: https://doi.org/10.1093/pubmed/fdp044

Zafar, A.; Mufti, T. S.; Griffin, S.; Ahmed, S.; & Ansari, J. A. (2007). Cancelled elective general surgical operations in Ayub Teaching Hospital. J Ayub Med Coll Abbottabad.19(3):64-6.




DOI: http://dx.doi.org/10.5585/rgss.v6i2.298

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Rev. Gest. Sist. Saúde
e-ISSN: 2316-3712
www.revistargss.org.br