Treinamentos sobre Resíduos Sólidos de Serviços de Saúde (RSSS) em Hospitais de Porto Alegre/RS na Percepção de Profissionais Atuantes

Daniel Neves Berto, Renata Czykiel, Marcia Dutra de Barcellos

Resumo


Um dos fatores importantes na gestão dos Resíduos Sólidos de Serviço de Saúde (RSSS) está relacionado ao treinamento dos profissionais para uma segregação correta. De acordo com a Resolução RDC306 de 2004 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), é obrigatório treinar os funcionários dos estabelecimentos de serviços de saúde para uma correta manipulação e gestão desses resíduos. Um gerenciamento adequado dos RSSS é fundamental para a manutenção da saúde dos trabalhadores, assim como para evitar contaminação ambiental gerada por substâncias perigosas. Dessa forma, este trabalho teve o objetivo de verificar questões relacionadas ao treinamento de profissionais da saúde no que se refere aos RSSS e, para isso, foram realizadas entrevistas com 22 funcionários que atuam em nove hospitais do Município de Porto Alegre/RS. A maioria dos entrevistados não recebeu capacitações nos moldes como determina a Resolução da ANVISA, sendo que alguns nunca participaram e outros, somente quando ingressaram no hospital em que trabalham. Há ainda os que receberam treinamentos em anos anteriores à resolução, estando, portanto, desatualizados. Existe, assim, uma grande oportunidade para que as instituições desenvolvam programas de treinamentos e coloquem em prática suas políticas e ações de responsabilidade socioambiental, beneficiando o meio-ambiente e a sociedade.

DOI: 10.5585/rgss.v1i2.35


Palavras-chave


Resíduos Sólidos de Serviços de Saúde; Gestão de resíduos de saúde; Treinamento; Gestão Socioambiental em Estabelecimentos de Saúde.

Texto completo:

PDF

Referências


Aligleri, L.; Aligleri, L. A.; Kruglianskas, I. Gestão Socioambiental: responsabilidade e sustentabilidade do negócio. São Paulo: Atlas, 2009.

Barbieri, J. C. Gestão Ambiental Empresarial: conceitos, modelos e instrumentos. São Paulo: Saraiva, 2007.

Brasil, ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Manual de gerenciamento de resíduos de serviços de saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2006.

Brasil, ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Sala de Imprensa - Anvisa e Receita apreendem mais uma carga de lixo hospitalar em Pernambuco. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/wps/portal/anvisa/anvisa/imprensa .Acesso em: 22/10/2011.

Brasil, Ministério do Meio Ambiente, CONAMA - Conselho Nacional de Meio Ambiente. Resolução N° 358 de 29 de abril de 2005. Disponível em: http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=462 . Acesso em: 30/01/2012.

Camponogaras, S.; RAamos, F. R. S.; Kirchhof, A. L. C. Um olhar sobre a interface trabalho hospitalar e os problemas ambientais. Revista Gaúcha de Enfermagem, v.30, n. 4, p. 724-31, 2009.

castro, L. C. de; Takahashi, R. T. Percepção dos enfermeiros sobre a avaliação da aprendizagem nos treinamentos desenvolvidos em um hospital de São Paulo. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 42, n. 2, p. 305-311, 2008.

Cheng, Y. W.; Sung, F. C.; Yang, Y.; LO, Y. H.; Chung, Y. T.; Li, K. C. Medical waste production at hospitals and associated factors. Waste Management, n.29, p. 440-444, 2009.

Chaerul, M.; Tanaka, M.; Shekdar, A. V. A system dynamics approach for hospital waste management. Waste Management, n.28, p. 442-449, 2008.

Corrêa, L. B.; Lunardi, V. L.; Santos, S. S. C. Construção do saber sobre resíduos sólidos de serviços de saúde na formação em saúde. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 29, n. 4, p. 557-564, 2008.

Dias, R. Gestão Ambiental: responsabilidade social e sustentabilidade. São Paulo: Atlas, 2009.

Ferreira, J. A. Resíduos sólidos e lixo hospitalar: uma discussão ética. Cadernos de Saúde Pública, n. 11, p. 314-320, 1995.

Freitas, C. M.; Porto, M. F. Saúde, Ambiente e Sustentabilidade. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2006.

Garcia, L. P.; Zanetti-Ramos, B. G. Gerenciamento dos resíduos de serviços de saúde: uma questão de biossegurança. Cadernos de Saúde Pública, n.20, p.744-752, 2004.

Giusti, L. A review of waste management practices and their impact on human health. Waste Management, n. 29, p. 2227-2239, 2009.

Marinkovic, N.; Vitale, K.; Holcer, N. J.; AKkula, A. D.; Pavic, T. Management of hazardous medical waste in Croatia. Waste Management, n.28, p. 1049-1056, 2008.

Nascimento, L. F.; Lemos, A. D. C.; Mello, M. C. A. Gestão Socioambiental estratégica. Porto Alegre: Bookman, 2008.

Nóbrega, C. C.; Pimentel, C. H. L.; COosta, M. D. Avaliação sobre o gerenciamento dos resíduos sólidos de serviços de saúde nos hospitais de João Pessoa/Paraíba/Brasil. I Simpósio Iberoamericano de Ingeniería de Residuos, Castellón, 2008.

OPAS - Organização Pan-Americana da Saúde. Guia para o manejo interno de resíduos sólidos em estabelecimentos de saúde. Brasília, DF : Centro Pan-Americano de Engenharia Sanitária e Ciências do Ambiente, 1997.

Schneider, V. E.; Emmerich, R. C.; Duarte, V. C.; Orlandin, S. M. Manual de gerenciamento de resíduos sólidos em serviços de saúde. Caxias do Sul: Educs, 2004.

Sisinno, C. L. S.; Moreira, J. C. Ecoeficiência: um instrumento para a redução da geração de resíduos e desperdícios em estabelecimentos de saúde. Cadernos de Saúde Pública, v. 21, n. 6, p. 1893-1900. 2005.

Tachizawa, T.; Andrade, R. O. B. Gestão Socioambiental: estratégias na nova era da sustentabilidade. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.5585/rgss.v1i2.35

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Rev. Gest. Sist. Saúde
e-ISSN: 2316-3712
www.revistargss.org.br