Gestão do Sistema de Saúde do Município de São Paulo com Base nos Parâmetros de Avaliação do PMAQ-AB: Estudo de Casos na Microrregião de Cidade Tiradentes

Marília Bezulle Chimara, Edinho Silva, Chennyfer Pain, José Eduardo Storopoli

Resumo


A garantia da qualidade da atenção à saúde é um dos principais desafios do SUS. Para gerenciar a qualidade dos serviços da Atenção Básica o Ministério da Saúde implantou no ano de 2011 o Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB).O objetivo desta pesquisa foi avaliar como esta o processo de adesão ao PMAQ pelos gestores das Unidades Básicas de Saúde na microrregião de Cidade Tiradentes no município de São Paulo.O método utilizado foi um estudo descritivo e exploratório, estudo de caso, com abordagem qualitativa, desenvolvido entre outubro e novembro de 2013 por meio de entrevistas semiestruturadas com 03 gestores da microregiãoproposta no objetivo deste estudo.Os dados coletados foram analisados pelo método de análise temática, uma das modalidades da análise de conteúdo, através das etapas de leitura e exploração do material, criação de categorias e articulação delas com referenciais teóricos. Todos os entrevistados afirmam que o PMAQ foi aderido há pelo menos 1 ano, os questionários de avaliação interna haviam sido preenchidos no ano de 2012 e repetidos no segundo semestre de 2013. Observado que os pré-requisitos propostos pelo programa foram cumpridos, as equipes foram sensibilizadas e capacitadas e mudanças nos processos de trabalho foram implementadas para adequação ao PMAQ. Conclui-se que apesar da implantação formal do programa os gestores não utilizam o mesmo como ferramenta de gestão da qualidade em suas unidades e não relacionam as mudanças ocorridas à adesão.

DOI: 10.5585/rgss.v2i2.85


Palavras-chave


Gestão em Saúde; Qualidade da Assistência a Saúde, Administração de Serviços de Saúde, Gestão da Qualidade; Atenção Primária a Saúde

Texto completo:

PDF

Referências


Bosi, M. L. M., Pontes, R. J. S., & Vasconcelos, S. de. (2010). Dimensões da qualidade na avaliação em saúde: concepções de gestores. Rev Saude Publica, 44(2), 318–324.

Bosi, M.L.M.(2012).Pesquisa Qualitativa em Saúde Coletiva: panorama e desafios. Ciência & Saúde Coletiva, 17 (3):575-586.

Camargo Júnior, K. R. de, Campos, E. M. S., Bustamante-Teixeira, M. T., Mascarenhas, M. T. M., Mauad, N. M., Franco, T. B., … Alves, M. J. M. (2008). Avaliação da atenção básica pela ótica político-institucional e da organização da atenção com ênfase na integralidade; Political, institutional, and organizational evaluation of primary health care with an emphasis on comprehensiveness. Cad. saúde pública, 24(supl. 1), s58–s68.

Campbell, S. M., Braspenning, J., Hutchinson, A., & Marshall, M. (2002). Research methods used in developing and applying quality indicators in primary care. Quality and Safety in Health Care, 11(4), 358–364.

Campos, C. E. A. (2005). Estratégias de avaliação e melhoria contínua da qualidade no contexto da Atenção Primária à Saúde; Strategies of assessment and continuous quality improvement in the context of Primary Health Care. Rev. bras. saúde matern. infant, 5(supl. 1), s63–s69.

Castro, A. L. B. de, & Machado, C. V. (2010). A política de atenção primária à saúde no Brasil: notas sobre a regulaccão eo financiamento federal; Primary health care policy in Brazil: notes on Federal regulation and funding. Cad. saúde pública, 26(4), 693–705.

Centro Brasileiro de Estudos de Saúde. IDSUS – números sem epidemiologia: como prestar um desserviço ao SUS e aos bons gestores. http://www.cebes.org.br/verBlog.asp?idConteudo=2370&idSubCategoria=56 (acessado em 09/Dez/2013).

Da Silva, J. M., & Caldeira, A. P. (2010). Modelo assistencial e indicadores de qualidade da assistência: percepção dos profissionais da atenção primária à saúde. Cadernos de Saúde Pública, 1187–1193.

De Medeiros Rocha, P. (2006). Avaliando a qualidade em Atenção Primária em Saúde. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, 1(4), 132–140.

Donabedian A.(1990). The Seven Pillars of Quality EISENHARDT, K.M.: Building Theories from Case Study Research. Academy of Management Review, [S.l]: v. 14, nº. 4, p. 532– 550.

França, G. C.Filho( 2008). Definindo gestão social. In: Silva Jr, Jeová; M, Rogerio et al (Orgs.). Gestão social: práticas em debate, teorias em construção. Fortaleza: Imprensa Universitária.

Facchini, L. A., et al. (2008). Avaliação de efetividade da Atenção Básica à Saúde em municípios das regiões Sul e Nordeste do Brasil: Contribuições metodológicas, Cadernos de Saúde Pública 24(supl.1), S159 - S172.

Furtado J. P, &Laperrièrre H. A (2011). Avaliação da Avaliação. In: Onocko RC, Furtado JF, organizadores. Desafios da avaliação de programas e serviços em saúde. Campinas: EditoraUnicamp; p.19-39.

Ibañez, N., Rocha, J. S. Y., Castro, P. C. de, Ribeiro, M., Forster, A. C., Novaes, M. H., & Viana, A. L. d’Avila. (2006). Avaliação do desempenho da atenção básica no Estado de São Paulo. Ciênc Saúde Coletiva, 11(3), 683–703.

Huessey, P.S., et al (2009).Systematic Review of Health Care Efficiency Measures.Health Services Research.

Jesus W.L.A., &Assis M .M. A.(2010) Revisão sistemática sobre o conceito de acesso nos serviços de saúde. Contribuições do planejamento. Ciência&SaúdeColetiva, 15. 1 161-70.

Norman, A. H. (2012). Qualidade em saúde. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, 7(23). Retrieved from http://rbmfc.org.br/index.php/rbmfc/article/view/655

Novaes, H. M. D. (2000). Avaliação de programas, serviços e tecnologias em saúde. Rev saúde pública, 34(5), 547–59.

Paim, C. da R. P., & Ciconelli, R. M. (2007). Auditoria de avaliação da qualidade dos serviços de saúde. Revista de Administração em Saúde, 9(36), 85–91.

Paladini, E. P. (1998). As bases históricas da gestão da qualidade: a abordagem clássica da administrção e seu impacto na moderna gestão da qualidade. Gestão e Produção, 5(3), 168–186.

Reid R.J, Haggerty J, &Mc.Kendry R .( 2002).Defusing the confusion: concepts and measures of continuity of healthcare. Final Report. UBC Centre for Health Services and Policy Research

Rosa-Filho L. A. (2008, abril). Fatores associados à continuidade interpessoal na atenção à saúde: estudo de base populacional, Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 24(4):915-925.

Silva, P. L. B. (2003). Serviços de Saude. O dilema do SUS na nova década. São Paulo em Perspectiva., v. 17, n. 1, p. 69-85.

Smith P, Mossialos E, &Papanicolas I (2008). Performance measurement for health system improvement: experiences, challenges and prospects .WHO Regional Office for Europe.

Souza, G. C. A. & Costa, I. C. C. (2010) O SUS nos seus 20 anos: reflexões num contexto de mudanças. Saúdesoc. [online].vol.19, n.3, pp. 509-517.

Starfield, B. ( 2004). Promoting equity in health through research and understanding. Developing World Bioethics, 4(1), 76-95.

Tanaka, O. U &Melo C. (2009).Reflexões sobre a avaliação em serviços de saúde e a adoção das abordagens qualitativa e quantitativa. Petrópolis. Vozes.

Triviños, A. N. S. (1987). Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação (o positivismo, a fenomenologia, e o marxismo), São Paulo: Editora Atlas.

Uchimura K.Y& Bosi M.L.M. (2012). Qualidade e subjetividade na avaliação de programas e serviços em Saude. Petrópolis,Vozes.

Viacava, F. et al.,( 2012). PROADESS -Avaliação de Desempenho do Sistema de Saúde Brasileiro : indicadores para monitoramento Relatório. . Rio de Janeiro: [s.n.].

Viacava, F. et al.,(2004). Uma metodologia de avaliação do desempenho do sistema de saúde brasileiro. A methodology for assessing the performance of the Brazilian health system.Ciência & Saude Coletiva, v. 9, n. 3, p. 711-724.

Viana, A. L. A.; Fausto, M. C. R.& Lima, L. D. (2003). Política de saúde e equidade. São Paulo em Perspectiva, 17(1): 58-68.

Vuori, H . A (1991). Qualidade da Saúde . In Saúde para Debate, 3 17-25.




DOI: http://dx.doi.org/10.5585/rgss.v2i2.85

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Rev. Gest. Sist. Saúde
e-ISSN: 2316-3712
www.revistargss.org.br